O valor do abraço

Qual é o valor do abraço?

Claro que não tenho respostas para essa pergunta, mas quero pensar com você sobre alguns significados desse ato simples e corriqueiro.

Primeiro, vale lembrar que, numa situação normal, ninguém se abraça sozinho, são necessárias duas ou mais pessoas para que o abraço aconteça. Logo, entendo que o abraço me faz pensar em outro alguém, quando abraço estou dizendo com gestos que me importo com o outro.

Entender em que circunstância acontece o abraço, qual é a realidade que estão vivendo as pessoas que se abraçam é fundamental para tentar lhe dar o valor devido.

O abraço pode acontecer em momentos de alegria, de felicidade, em comemorações, mas também pode se dar em momentos de tristeza, de perdas e frustrações.

 Pode ser entre conhecidos, amigos, irmãos, entre pais e filhos, entre casais apaixonados e até mesmo entre desconhecidos.

O abraço transmite calor, proteção e cuidado, ele pode significar perdão ou reconciliação, encontro ou reencontro, mas acima de tudo, o abraço tem a ver com amor.

Por falar em amor, quando olho para a Palavra de Deus, duas situações envolvendo abraços me vem à mente.

A primeira, na parábola do filho gastador quando o pai vê seu filho sujo e maltrapilho retornando depois de esbanjar toda a herança recebida e corre em sua direção sem se importar com mais nada a não ser abraçar o filho (Lucas 15:20). O pai acima de tudo ama o filho.

A segunda, no reencontro de dois irmãos que haviam brigado em razão da bênção da primogenitura e se separado por mais ou menos vinte anos, quando estavam próximos novamente correram, se abraçaram e se reconciliaram (Gênesis 33:4). Os irmãos acima de tudo se amam.

Como escreveu o sábio Salomão: …há tempo de abraçar e tempo de deixar de abraçar…Eclesiastes 3:5b

Nós estamos vivendo um momento na história em que os abraços estão restritos por razões que você sabe bem. E como faz falta abraçar nossos amigos e irmãos!

Há quem diga, que só damos valor a alguma coisa quando a perdemos, talvez nunca demos tanto valor ao abraço quanto agora!

 Por isso, espero que quando tudo isso passar (acredite, vai passar!) você valorize o abraço, abrace e se deixe abraçar!

Um grande abraço

, , ,
Post anterior
A graça no perdão presidencial
Próximo post
Quarentena não é férias

Posts Relacionados

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu
X