Eu, minha prancha, as ondas e Deus, um culto perfeito!

Você se recorda do seu último culto perfeito? A pergunta pode parecer meio estranha, já que temos o hábito de cultuar a Deus semanalmente, mas quero me referir àquele momento de culto onde você e Deus se encontraram de tal maneira que o tempo parecia parar, e tudo o que você conseguiu fazer foi adorar a Deus e se sentir abençoado por Ele. Nem todos os cultos são iguais. Podem até ter o mesmo formato, mas nunca são iguais. Eu não escrevo isso para criticar nosso modelo de cultuar, mas estou partindo do pensamento que o culto não acontece apenas no templo, e que todo o culto é diferente, seja no templo, no pequeno grupo, em casa, e sempre haverá uma lembrança diferente e algo que marcará mais a nossa vida.

Se você topar seguir nesta leitura, eu gostaria de compartilhar uma experiência que eu vivi e que gerou este texto. Aconteceu no último feriado, o do início deste mês de novembro, quando tive a oportunidade de ir para a praia com a minha família. Confesso que ir para a praia é um dos meus programas preferidos pois geralmente é um tempo de contemplação, leitura, descanso, brincadeiras com os filhos, e, sempre que o mar colabora, de aproveitar as ondas para surfar – o que para mim é uma benção! Destacando que Jesus foi o primeiro a andar sobre as águas, e sem prancha. Radical!! Apenas um adendo. Mas voltemos aos fatos… Em um dos dias do feriado choveu e ventou bastante. Foi aquele dia de ficar em casa vendo o mar e chuva pela janela. Porém no final da tarde a chuva e o vento cessaram. Tudo ficou calmo. Aproveitei para ir com os meus filhos brincar um pouco na areia. Enquanto brincávamos o mar começou a se acertar, depois de estar agitado pelo vento, e algumas ondas foram surgindo, e o sol, que se direcionava para o seu esconderijo nas montanhas, ia começando a pintar o céu com cores muito bonitas que refletiam no mar. Falei para mim mesmo: Ainda dá tempo de pegar umas ondas!! Retornei com as crianças para o apartamento, peguei minha prancha e corri para a água. Entrei no mar sozinho. Remei para o fundo de olho nas ondas que se formavam na intenção de aproveitá-las.

Entretanto, na medida que, o Sol ia baixando as cores foram ficando mais intensas e variadas. Pense naquele laranja forte, rosa, vermelho, amarelo, uma mistura fantástica refletida no céu e em cada onda que se levantava. Não sei se você já teve a oportunidade de ver isso de dentro do mar, mas posso te assegurar que é maravilhoso! A parede das ondas refletia como um espelho em movimento essas cores maravilhosas e eu só pude louvar a Deus. Comecei a louvar, a agradecer, a exaltar a Deus ali sozinho no mar. Naquele templo estavam apenas eu, minha, prancha, Deus, e o reflexo das suas obras maravilhosas. Falei, cantei, orei, dirigi a Deus minha admiração, minha gratidão e o meu louvor por poder viver ali um momento tão especial que ficou marcado na minha mente e no meu coração.

A Bíblia nos diz no Salmos 19:1 a 4:  “O céu anuncia a glória de Deus e nos mostra aquilo que as suas mãos fizeram. Cada dia fala dessa glória ao dia seguinte, e cada noite repete isso à outra noite. Não há discurso nem palavras, e não se ouve nenhum som. No entanto, a voz do céu se espalha pelo mundo inteiro, e as suas palavras alcançam a terra toda.”

Como Davi foi fundo quando escreveu isso, e ele nem pegava onda. Quando olhamos para as obras de Deus vemos a Sua grandeza e o Seu cuidado. As vezes ficamos muito tempo sem olhar para o que está a nossa volta com o foco em Deus, com o coração voltado para o Senhor. Pode acontecer até de você ir ao templo, sábado após sábado, incluindo o domingo e outros momentos, e mesmo assim voltar para a tua casa sem o sentimento de ter tido um encontro real com Deus. Porém Deus está perto de nós em todo o tempo, mas só se deixar achar por aqueles que O buscam de todo o coração (Jeremias 29:13).

Creio que o que aprendi deste momento é que não precisamos esperar o próximo sábado para poder cultuar a Deus. Temos que aproveitar todas as oportunidades. Seja no trânsito, no trabalho, em família, no campo, na praia, onde você estiver pode ser um bom lugar e momento para você ter um culto inesquecível, a sós, ou com outros, e com Deus. Louve, agradeça, exalte Àquele que vive e reina para todo sempre pois o Seu amor e a Sua bondade não tem fim. Louvado seja o nosso Deus!!

, , ,
Post anterior
Quais eram mesmo minhas metas?
Próximo post
Tradição não leva ninguém pra Copa e nem tão pouco para o Céu

Posts Relacionados

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu
X