Alíííííívio!

Chegamos ao segundo jogo. Depois de uma primeira batalha bem jogada, mas não com o resultado desejado, o Brasil entra em campo para enfrentar a Costa Rica. O uniforme azul escolhido para o jogo combina bem com as belezas do mar do Caribe que banha o litoral leste do nosso adversário neste segundo jogo.

A seleção da Costa Rica, ocupando o 23º lugar no ranking da FIFA vem a campo tendo como principal estrela o goleiro Navas, jogador do Real Madri. Esse era o cara responsável em impedir a 10ª vitória da nossa seleção (quase deu pra ele). Em nosso time, a única surpresa é a entrada Fagner no lugar de Danilo.

O jogo começa, a ansiedade é real, há um evidente desejo por um gol rápido. Um toque aqui, outro ali. Algumas faltinhas… você sabia que na Costa Rica come-se arroz e feijão nas três refeições do dia? Pela manhã o nome é gallo pinto e no almoço casado. A diferença são os acompanhamentos. Além disso, costuma-se tomar uma bebida chamada água dulce que tem base de açúcar amarelo… ops… desculpe, o jogo. Não, não teve nada no primeiro tempo. E um vizinho continua furando a parede.

Depois do primeiro tempo, o jogo melhora. Já nos três primeiros minutos bola na trave rola. O volume aumentou bastante. Muitas chances reais de gol. Mas demorou. Meu irmão… que loucura. Aos 47. Que gritaria… você imagina né? Você deve ter gritado como eu! O negócio foi tão louco que até o Tite caiu….rsrsrs…. no melhor sentido da palavra. Caiu comemorando! Ufa! E ainda mais um… dele, Neymar. Ele precisava fazer um. Ele precisava disso e nós também! 2 a 0. Alííííívio!

Enfim, três apitos seguidos do juiz encerram a partida. E agora te convido a pensar no resultado de hoje. Acalma-se aí! Sei que está difícil, mas tente. Estou tentando pra acabar o texto! É inegável… foi bom demais pra nós, torcedores brasileiros.  Precisávamos deste alívio para avançar com mais convicção para as próximas etapas. Ganhamos! E que venham os próximos desafios, afinal, o hexa só vem se vencermos todos os que chegarem diante de nós.

Mas cabe aqui uma pequena reflexão: planos e mais planos foram feitos pelo professor Tite, pelos jogadores, pela comissão técnica, jornalistas, comentaristas e torcedores. Nenhum (ou quase nenhum – afinal alguém sempre ganha o bolão) dos planos contava com um empate no primeiro e que este jogo seria também difícil.

Isso me faz refletir sobre o texto de Provérbios 16:9: “…o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos”. O planejamento na normalidade é global. Nele pensamos em todo o processo do começo ao fim. Mas o texto nos ensina amorosamente que Deus olha com atenção para cada passo, para cada acontecimento de nossa história. Que nós, como cristãos, enfrentemos os “jogos” da vida com a consciência de que o próprio Deus define nossos passos. Que assim seja e que assim, como torcedores, confiemos que o melhor está por vir (mesmo que não seja exatamente o que queremos). O “alívio” virá sempre dEle!

E voltando ao tema… que venha a Sérvia. Guarde alguns cabelos e unhas.

Paz meu queridos!

, ,
Post anterior
Scandal – cuidado com os bastidores
Próximo post
Emoção que mexe com cada canarinho!

Posts Relacionados

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu
X